Pedro Meira Monteiro

Monthly Archives

December 2013

Fala a verdade

Chegando de Berlim, encontro na caixa postal um exemplar do novo romance de Ricardo Lísias, Divórcio. Abri-o e não pude mais fechá-lo. Poucas vezes lembro-me de tamanha absorção na leitura, ao menos quando adulto. Afinal, as crianças em geral “mergulham” nos livros mais facilmente que nós. Ou talvez os bons livros sejam justamente aqueles que permitem repetir o gesto infantil de neles perder-se, como se a superfície que nos separa da ficção fosse rompida e, subitamente esquecidos do que restou lá fora, descobríssemos que o narrado é o lugar onde estamos, talvez o único de onde podemos compreender a realidade.

Um confuso ruído

Com poucas modificações, o texto a seguir saiu nas notas de programa da OSESP em novembro, a propósito da inclusão da Fantasia em Fá Menor, op.18 de Tchaikovsky (“A Tempestade”) no repertório. Ricardo Teperman conta que os concertos, sob a batuta de Celso Antunes, foram lindos.John Gielgud em cena do filme Prospero’s Books, de Peter GreenawayEstar na periferia tem suas vantagens. Longe do centro, descortinamos aquilo que os que lá estão jamais veriam.A Rússia do século XIX é um exemplo clássico de distanciamento. Nela, a tensão com a Europa ocidental e a admiração por sua cultura erudita acionam teclas díspares: ora o desejo de parecer-se a Paris, ora a vontade de percorrer as raízes eslavas.

Pedro Meira Monteiro