Pedro Meira Monteiro

Monthly Archives

March 2011

Existência barata

Em Azul-corvo, Adriana Lisboa fixou um tom, sem deixar de surpreender. Como nos anteriores Rakushisha e Um beijo de colombina, a narrativa é discreta, sem lances heróicos ou impactantes, e a estória é simples. Por trás da simplicidade se estende uma trama profunda de sentimentos. As influências literárias não se explicitam, porque a boa literatura prescinde de qualquer exibicionismo. Nela, os diálogos com outras obras apenas se adivinham. Assim, o desconforto que atravessa Azul-corvo pode evocar antecedentes ilustres.